sábado, 22 de maio de 2010

Historia da YAMAHA RD 135



Yamaha RD 125, RD 125Z, RD 135 e RD 135Z.


Yamaha RD 125, RD 125Z, RD 135 e RD 135Z foram modelos de Moto produzidas e comercializadas no Brasil entre 1982 e 1999. Sua principal e marcante característica é o Motor a dois tempos, que oferece grande potência específica, grande possibilidade de preparação, bem como alto índice de ruído e poluentes. Semelhante as Yamaha RD350, foram durante anos comercializadas pela Yamaha do Brasil. Seu nome ainda é uma incógnita, alguns dizem que provém de "Racing Development" (desenvolvido para corridas), mas não há informações oficiais a este respeito.Se tunada a 135cc pode alcanssar mais de 200 km/h e serem mais fortes do que a xt 600


Após anos comercializando motocicletas com Motor a 2tempos, a Yamaha do Brasil não pensou diferente ao introduzir no mercado a RD125Z em 1982. Sucessora da Yamaha RX 180, mostrou-se uma motocicleta muito moderna em sua época, com design arrojado, confortável em vista de sua estrutura-, excelente Motor a dois tempos de 125cc, mais moderno que suas antecessoras. Seu público alvo foram os jovens, pois foi uma motocicleta de desenho moderno não deixando de ser harmônico, muito veloz, havia grande possibilidade de preparação e extração de potência, atributos devidos ao Motor a dois tempos. Possuía como itens de série: freio a disco dianteiro; painel com velocímetro, hodômetro total, hodômetro parcial e Tacômetro; pedaleiras do carona fixas no quadro da motocicleta (evitando os movimentos da "balança" nos pés do carona); e excelente tanque de combustível de 16 litros.


RD 125


Após 3 anos com boa aceitação no mercado a Yamaha lança em 1985 o modelo RD 125 produzidos em substituição a RX 125, modelo mais acessível da montadora na época. Éram claros os sinais de idade da RX 125, linhas ultrapassadas, cilindro em ferro fundido, falta de conforto e o complexo sistema elétrico com platinado eram alguns defeitos da RX 125. O modelo RD 125 em substituição mostrou-se muito moderna, em semelhança a RD 125Z. A RD 125 possuia motor semelhante, com 1 CV a menos; não possuia freio a disco na roda dianteira sendo o freio à tambor; não possuia pedaleira do carona fixada no quadro da motocicleta, sendo a pedaleira fixa na "balança"; painel diferenciado mas não menos completo e tanque de combustível de 11,5 litros. O motor mostrava os mesmo atributos da RD125Z, muito potente e confiável, e os mesmos defeitos: grande consumo de combustível, alto índice de ruído e alto índice de poluentes. Teve ótima aceitação no mercado.


RD 135 E RD 135Z


Em 1988 a Yamaha Motor do Brasil efetua uma leve reformulação nos modelos de baixa cilindrada. A cilindrada aumenta para 135 centímetros cúbicos, devido ao aumento do diâmetro do pistão (exatos 2 mm), mantendo o mesmo curso. Consequentemente a potência aumentou levemente bem como o torque. Não houve reformulações estéticas além do grafismo, mas reformulações mecânicas: além do aumento da cilindrada, a RD135Z recebeu novo escapamento e nova regulagem do carburador. Estas alterações garantiram a RD135 a potência de 16CV e a RD135Z potência de 18CV. O desempenho se tornou ainda melhor com estas alterações mecânicas, mas os problemas continuaram: alto consumo de combustível (em média 24km/l, demasiado alto para uma motocicleta de baixa cilindrada) e alto índice de poluentes.


Encerramento de produção


Em 1993 é encerrada comercialização da RD135Z. Após 11 anos de mercado e muito sucesso, especialmente com os jovens, a Yamaha decide investir apenas na RD135, por ser a motocicleta mais acessível da Yamaha e mais vendida. Criando uma lacuna em seu catálogo, a Yamaha cede ainda mais espaço às concorrentes, pois a RD135 cada vez mais foi deixando de ser uma motocicleta competitiva. Em 1999 é encerrada a produção da RD135. Após 17 anos de mercado, mostrava claros sinais de envelecimento: linhas antiquadas para a época, alto consumo de combustíveis e pouquíssimas reformulações. Foram os motivos suficientes para a Yamaha encerrar as vendas em 1999 da penúltima motocicleta com Motor a dois tempo no Brasil, no ano seguinte seriam encerradas as vendas da Yamaha DT 200, bem como saíra de catálogo a DT180 em 1997. Apesar de estar fora do mercado há anos, as pequenas motos Yamaha com motor há 2tempo, deixaram sua marca e seu carisma. Apreciada especialmente pelos jovens, muito usada em corridas de rua e de pista as "RDZINHAS" como foram conhecidas deixaram sua marca no mercado. Hoje em dia há legiões de fãs destas motocicletas, que não deixam acabar-se o símbolo de uma época.



9 comentários:

  1. ONDE ACHO UM ESCAPAMENTO DAQUELE QUE ESTA NA RD DA FOTO?? SE NAO ME ENGANO É O FO-CAR?

    ResponderExcluir
  2. As vezem tem coisas que marcam epocas...Eu hoje tenho 16 anos nao era nascido ainda quando a yamaha descidiu parar de fabricar as RDS...Que pena que nao participei dessa epoca que marcou muitos jovens...Hj sinto a falta dessa epoca msmo nao tendo participado dela ...sera que elas (as RDS) irao voltar... Se voltar seria a coisa mais desente a fazer .. Pois depois delas nenhuma outra AS SUPERARAM....CLAYTON ALVES . 16

    ResponderExcluir
  3. tive a oportunidade de ter uma 99,com igniçao hitashi,carburador de cr250,gmoto de competiçao,gasolina podium.um canhao andava mais que cb500,muito show

    ResponderExcluir
  4. Vivi a época delas e continuo a recordar,toda vez que rodo com minha rd. Só tive rd até hoje e é só rd que terei. Atualmente possuo uma ano 98 preta,da qual jamais irei me desfazer.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. tenho uma 98 preta para mim e a melhor moto ja feita sou um verdadeiramente amente da rd 135 vamos falar a verdade não e gostoso o cheiro daquela fumaça...... falo galera

    ResponderExcluir
  8. tenho uma rd 135 92 branca e meu xodo nunca nunca vou desfazer minha paixão...

    ResponderExcluir
  9. meu pai tem uma rd e eu estou indo pelo mesmo caminho e adoro moto 2tempo e tenho 12 anos ja tenho uma mobilete matteus

    ResponderExcluir